Como testar um aplicativo de ponta a ponta

teste-de-aplicativos

Como vocês já devem saber, um aplicativo que não funciona ou que não resolve o problema do usuário acaba sendo mal avaliado, diminuindo drasticamente as chances de se posicionar entre os primeiros nas app stores.

Muitas pessoas desenvolvem apps sem nem saber se realmente há um problema ou necessidade para ser atendida. Acabam gastando tempo e dinheiro com apps que ninguém quer usar. Na maioria desses casos, não há teste suficiente para salvá-los. Nesse post, vamos mostrar algumas técnicas utilizadas para testes em aplicativos assumindo que seu app já tenha passado por uma rigorosa fase de validação.

Teste do modelo de negócio

O primeiro passo é certificar-se que o app está coletando os dados necessários para medir seu desempenho em termos de crescimento. Por exemplo, o app deve ter recursos que meçam:

  1. A quantidade de pessoas que desinstalam ou que usam por apenas uma vez para medir a taxa de churn ou perda.
  2. Retenção e engajamento, ou seja se o app é usado mais de uma vez e quais interações foram feitas dentro dele.
  3. Número de instalações.
  4. Número de pagantes vs número de não pagantes.
  5. Taxa de conversão. Quantas pessoas visitam seu ad ou página e instalam o app.

Com esses dados, a equipe de negócios vai poder tomar decisões baseadas em métricas relevantes ao negócio como por exemplo, estender um trial, reduzir valores ou investir melhor em marketing. Um ponto importante para equipe de negócios é saber qual é o benchmark para o mercado que o app atende. Em média 95% dos usuários abandonam um app em 90 dias. É um dado desestimulante, mas imagine que seu app tenha uma taxa de retenção de 35% após 90 dias. Um time inexperiente pode tomar conclusões precipitadas e dizer que a maioria dos usuários não usam o app, quando na verdade o app está desempenhando melhor que o Snapchat e Twitter que possuem uma taxa de retenção de 33-31% respectivamente após 90 dias.

taxas-de-retencao

Testes qualitativos

Ter pessoas comprando, se engajando e usando seu app é legal, mas não significa que essas pessoas estão gostando de usá-lo. Elas podem simplesmente estar usando o app por obrigação como por exemplo para pagar um boleto no banco, ou pesquisar por um produto para comprar. Eles precisam usar o app e podem estar odiando, mesmo que as métricas do negócio sejam boas. Os testes qualitativos te ajudam a descobrir como e porque as pessoas interagem com seu app.

Teste de usabilidade

O teste de usabilidade é um teste qualitativo que mostra como as pessoas interagem com o aplicativo. Elas realizam as tarefas mais importantes do app enquanto você observa o que essas pessoas fazem. Com 5 pessoas, você já consegue descobrir 85% dos problemas que estão enfrentando além de insights importantes para melhorar a usabilidade e percepção do app.

Com um teste de usabilidade no seu aplicativo, você pode descobrir:

  1. Tempo para realizar as principais tarefas. Quanto mais rápido, intuitivo e divertido, melhor.
  2. Problemas de usabilidade como botões e links que não funcionam ou elementos que possuem aparência subjetiva.
  3. Problemas na arquitetura, layout, organização, fluxo como dificuldade para encontrar informações, navegar pelos recursos e realizar tarefas chaves.
  4. Funcionamento do app em diversos tipos de telefones.
  5. Descobrir a percepção geral sob a ótica do usuário e não da equipe que o desenvolveu.
  6. Quais recursos eles gostam mais, quais detestam, o que chama mais atenção, o que falta no app e se aprovam o design.

Nesse post mostramos a enorme quantidade de informações que um participante descobriu em um único teste de usabilidade remoto

Teste de concorrência

O teste de concorrência tem como principal objetivo medir sua posição diante dos concorrentes. É nesse teste que você pode responder perguntas como:

  1. O que gostam/não gostam nos concorrentes?
  2. Como enxergam o seu app vs apps concorrentes?
  3. O que a concorrência faz de melhor ou pior?
  4. Qual app é o favorito e o mais importante: por quê?
  5. Como interagem com seu app vs apps concorrentes?

Além disso, você também pode usar o teste de concorrência para identificar novos concorrentes, testar recursos dos concorrentes antes de copiá-los e testar apps semelhantes ao seu, mas que atendem mercados diferentes.

Outros testes qualitativos incluem:

  1. Entrevistas individuais com usuários.
  2. Grupos de foco para entender e debater questões importantes dentro do contexto de uso do app.
  3. Pesquisas etnográficas. Semelhante a grupos de foco, mas com um componente de observação. Podem ser feitos no ambiente onde o app é utilizado.
  4. Gravação de sessão ou session replay em que a sessão do usuário é gravada para entender como interagem com o app.
  5. Pesquisas por e-mail com perguntas abertas.

 Testes quantitativos

Os testes quantitativos podem te ajudar a tomar decisões baseadas no que a maioria pensa e também servem para descobrir novas tendências do mercado e ter uma visão mais definida do que as pessoas querem ver no app.

NPS (Net Promoter Score)

Um exemplo de um teste quantitativo é o Net Promoter Score, métrica conhecida para medir a satisfação e melhorar a lealdade dos usuários fazendo uma única pergunta aos usuários: Qual é a probabilidade de recomendar este app a um amigo ou colega? Uservoice e helpstack são algumas ferramentas que fazem todo tipo de pesquisa quantitativa e qualitativa dentro do app.

Teste A/B

Outro tipo de teste quantitativo é o Teste A/B que apresenta uma ou mais versões ou recursos do app para um grande número de pessoas. O objetivo é descobrir qual é a versão que mais agradam os usuários ou que mais atingem os objetivos do teste.

Testes de performance

Seu app pode ter boas métricas de negócio, ser divertido, ter boa usabilidade, mas se ele trava, fecha sozinho, é lento, tem vazamento de memória ou dados e ainda consome muito espaço, provavelmente ele não será usado por muito tempo. Existem diversos tipos de testes de performance para medir o impacto negativo que o app pode estar trazendo aos usuários.

Por exemplo:

  1. Testando o app com diferentes telefones, redes e regiões.
  2. Analisando logs de erros que são enviados para o time de produtos.
  3. Analisando feedback de beta testers e avaliações nas app stores.
  4. Fazendo um teste de carga para descobrir os limites do app, servidor e banco de dados.
  5. Fazendo um pen-test ou teste de penetração para identificar problemas de segurança.

Existem ferramentas que podem ser instaladas diretamente no app e que monitoram vários parâmetros de performance. Apptimize é uma delas.

Conclusão

Se mesmo depois dessa bateria de testes, seu app ainda não decolar, é hora de repensar o modelo de negócio. Seu app pode não estar resolvendo as dores das pessoas, ou você pode estar trazendo usuários fora do perfil ideal.

No geral, seu app tem que resolver de forma excepcional o problema das pessoas. Ser fácil de usar, estável, divertido, intuitivo e possuir elementos de viralização, engajamento, retenção e monetização.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


6 − = três